top of page
  • Wiliam e o Mundo

CCBB Brasília recebe a exposição “Fotógrafos Italianos - no florescer da fotografia brasileira”


Vincenzo Pastore. Mulheres descansando em banco de praça. São Paulo, c. 1910. Acervo do Instituto Moreira Salles.

O Centro Cultural Banco do Brasil Brasília (CCBB) e a Embaixada da Itália em Brasília, em colaboração com o Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro apresentam a exposição “Fotógrafos Italianos - no florescer da fotografia brasileira”, na galeria 4 do CCBB, aberta à visitação a partir do dia 21 de março, de terça-feira a domingo, das 9h às 20h30. A entrada é gratuita, com retirada de ingresso no site bb.com.br/cultura. Classificação indicativa: livre.

Camillo Vedani. Largo do Paço. Atual Praça XV de Novembro. Rio de Janeiro, 1865. Acervo do Instituto Moreira Salles.

A mostra conta com mais de 90 imagens, em reprodução, realizadas entre os meados do século XIX e o início do século XX, por fotógrafos italianos que se destacaram como verdadeiros pioneiros da ‘oitava arte’. Este trabalho, ainda pouco conhecido, contribuiu para a história da fotografia brasileira e a criação de uma identidade visual como nação-Brasil.

Entre os muitos italianos que atuaram como fotógrafos no recorte temporal escolhido, os curadores da exposição, Joaquim Marçal Ferreira de Andrade e Livia Raponi, selecionaram nove personagens que brilham pelas trajetórias singulares e pela qualidade poética e visual de suas obras: Luiz Terragno, Camillo Vedani, João Firpo, Ermanno Stradelli, Nicola Parente, Guido Boggiani, Vincenzo Pastore, Virgilio Calegari, Luís Musso.


Particular interesse assume, no registro do Brasil das últimas décadas do século XIX, o trabalho dos fotógrafos-viajantes Guido Boggiani e Ermanno Stradelli, que documentaram o Brasil indígena. O primeiro conviveu intensamente com os povos Chamacoco e Kadiwéu da região fronteiriça com o Paraguai, deixando maravilhosos retratos de homens e mulheres, com atenção especial a suas pinturas faciais e corporais.

Guido Boggiani. India Caduveo (Mbayá), Rio Nabileque. Mato Grosso do Sul. Acervo do Sistema Museale dell’Università degli Studi di Firenze.

O segundo, Ermanno Stradelli, completou 13 expedições na Amazónia brasileira, documentando com sua câmara a floresta, os rios, as aldeias indígenas e seus habitantes. Seu aporte mais relevante, no campo da fotografia, é o registro da expedição conhecida como Pacificação dos Crichanás (1884), capitaneada pelo cientista João Barbosa Rodrigues. Stradelli atuou neste caso como o repórter ante-litteram de uma missão de primeiro contato entre representantes do poder público e indígenas isolados. As imagens realizadas nesta ocasião terão destaque no percurso expositivo.

Vale lembrar que a paixão dos curadores pelo tema, resultou numa aprofundada pesquisa que deu à luz a dois projetos: o primeiro é a exposição e o segundo é o livro “Italianos detrás da Câmara. Trajetórias e olhares marcantes no florescer da fotografia no Brasil”, publicado em 2022 pela Editora Unesp.

Segundo o Embaixador italiano Francesco Azzarello, "vendo o trabalho desses fotógrafos, que registraram com seu olhar e seu equipamento as múltiplas paisagens de sua pátria escolhida, temos a certeza de que a documentação iconográfica produzida por eles é de imenso interesse para a historiografia e a antropologia brasileiras, como também para a história das relações culturais Itália-Brasil", destacou Azzarello.


Serviço:

Fotógrafos Italianos, no florescer da fotografia brasileira

Local: Centro Cultural Banco do Brasil Brasília

Endereço: SCES Trecho 02 Lote 22 – Edif. Presidente Tancredo Neves – Setor de Clubes Espacial Sul – Brasília - DF

Fone: 61 3108 7600

Visitação: de 21 de março a 04 de junho de 2023

Horários: de terça-feira a domingo, das 9h às 20h30

Entrada gratuita: retirada de ingresso no site bb.com.br/cultura

Classificação indicativa: livre


*informações Embaixada da Itália no Brasil

Comentarios


bottom of page