• Wiliam e o Mundo

Embaixada da Palestina promove encontro com jornalistas para debater o conflito palestina-israel

Atualizado: 8 de Jan de 2019

Cerca de 30 jornalistas foram convidados para um encontro na Embaixada do Estado da Palestina. O assunto em pauta foi o conflito entre Palestina e Israel


Da esq. para dir.: Embaixador do Marrocos, Sr. Nabil Adghoghi; Embaixador do Egito, Sr. Alaa Roushdy; Tradutor oficial, Saleh Hassan; Embaixador da Jordânia, Sr. Malek Twal e o Embaixador da Palestina, Sr. Ibrahim Alzeben

Por Ana Machado


Na noite desta quarta-feira (21/11) ocorreu um encontro com jornalistas promovido pela Embaixada do Estado da Palestina. A reunião teve o intuito de debater o conflito Palestina-Israel, além de salientar o papel fundamental do Brasil na comunidade internacional. Ibrahim Alzeben, embaixador da Palestina, ressaltou o caráter respeitoso que o Brasil mantém no ramo do Direito Internacional.


De acordo com o Sr. Ibrahim, a presença do Brasil no processo da partilha da Palestina sempre foi marcada por uma responsabilidade moral e política. "Esta briga no Oriente Médio não é do Brasil, não é da comunidade internacional. Lamentavelmente é uma briga entre Israel e Palestina e esperamos que este problema seja resolvido", declarou Ibrahim Alzeben.


O apresentador Wiliam Gsaint (à esquerda) e o Embaixador da Palestina Ibrahim Alzeben (à direita)
"Esta briga no Oriente Médio não é do Brasil, não é da comunidade internacional. Lamentavelmente é uma briga entre Israel e Palestina e esperamos que este problema seja resolvido." (Ibrahim Alzeben)


No encontro também estavam presentes os embaixadores do Egito, Jordânia e Marrocos, países pertencentes à Liga dos Estados Árabes (LEA) - organização que possui o objetivo de estreitar e coordenar laços econômicos, sociais, políticos e culturais dos estados árabes. Segundo o Embaixador da Jordânia, o Sr. Malek Twal, o território reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU), atualmente como Cisjordânia, é um território palestino no qual deveria ser instalado o Estado da Palestina e sua capital, Jerusalém Oriental.


Wiliam Gsaint e o Embaixador do Egito, Alaa Roushdy

O embaixador egípcio, Alaa Roushdy, partilha do mesmo pensamento e defende a estabilidade e instalação de um estado palestino ativo, além da busca pela defesa da paz baseada nas resoluções da ONU. De acordo com o embaixador jordano, Malek Twal, é de conhecimento por lei internacional que a parte ocidental de Jerusalém seja declarada território israelense e a oriental pertença ao território jordano.


Além disso, Malek demonstra preocupação com a participação brasileira no conflito: "O Brasil sempre manteve uma posição equidistante com árabes e israelenses. Não queremos que o Brasil seja parte deste conflito". No entanto, o embaixador marroquino, Nabil Adghoghi, demonstrou otimismo com o rumo da nova diplomacia brasileira no governo do recém-eleito presidente, Jair Bolsonaro.


Liz Elaine (Embassy Brasilia), Malek Twal (Embaixador da Jordânia) e Wiliam Gsaint (apresentador)

Segundo Nabil os pré-requisitos da nova diplomacia brasileira vêm acompanhada de duas palavras: pragmatismo e ausência de vias ideológicas. "Isso mesmo que estamos buscando, o Brasil reiterar o compromisso com o pragmatismo vai justamente nos ajudar a ver o país expressar seu soft power, sua imagem altamente positiva no ambiente internacional. Vai ajudar bastante a buscar uma solução política para esse conflito", concluiu Nabil.


Nas próximas semanas, Jair Bolsonaro deverá se reunir com os 18 embaixadores de países árabes para discutir a questão.



On Wednesday evening (21/11) there was a meeting with journalists promoted by the Embassy of the State of Palestine. The meeting was aimed at discussing the Palestine-Israeli conflict, as well as highlighting Brazil's fundamental role in the international community. Ibrahim Alzeben, the ambassador of Palestine, emphasized the respectful character of Brazil in the field of international law.


According to Mr. Ibrahim, Brazil's presence in the process of sharing Palestine has always been marked by a moral and political responsibility. "This fight in the Middle East is not from Brazil, it is not from the international community. Unfortunately, it is a fight between Israel and Palestine and we hope that this problem will be solved," said Ibrahim Alzeben.


Also present at the meeting were the ambassadors from Egypt, Jordan and Morocco, countries belonging to the League of Arab States (LEA) - an organization that aims to strengthen and coordinate economic, social, political and cultural ties of the Arab states. According to the Jordanian Ambassador, Mr. Malek Twal, the territory recognized by the United Nations, nowadays as West Bank, is a Palestinian territory in which the State of Palestine and its capital, East Jerusalem, should be located.


The Egyptian ambassador, Alaa Roushdy, shares the same thinking and advocates for the stability and establishment of the Palestinian state, as well as the quest for peace based on UN resolutions. However, the Moroccan ambassador, Nabil Adghoghi, expressed optimism with the direction of the new Brazilian diplomacy in the government of the newly elected president, Jair Bolsonaro.


According to Nabil, the prerequisites of the new Brazilian diplomacy are accompanied by two words: pragmatism and the absence of ideological ways. "This is what we are looking for, Brazil reiterates its commitment to pragmatism, which will help us to see the country express its soft power, its highly positive image in the international environment. It will greatly help to find a political solution to this conflict," he concluded. Nabil.



76 visualizações

Patrocínio:

AUTOHAUS

© 2020 por Wiliam e o Mundo

®